22 de MAIO: DIA DO ABRAÇO…argh!

22 de maio é o Dia do Abraço.
Descobri isto vendo o nefando Bom Dia Brasil, que terminou com um texto da apresentadora Renata Vasconcelos decrevendo e surtando sobre os diversos tipos de amplexo existentes e as situações que ocorrem.
O que eu podia falar sobre, falei em O ABRAÇO.
E não mudei de opinião.
Continuo pensando a mesma coisa.
E gostaria de acrescentar que todos nós temos nossa zona de proteção, confortabilidade e isolamento.
E que um abraço, dependendo da pessoa, é invasor, hostil e ofensivo.
Sei que muitas pessoas são receptivas a gestos de carinho, emoção e proximidade. E não sou destas muitas pessoas. E não complexado, frustrado por isso. Tem muita gente que diz que sou frio, insensível nos relacionamentos com as pessoas.
Quem hoje te abraça, é o mais próximo para te apunhalar nas costas.
Nos dias de hoje todo cuidado é pouco.
Escrever sobre abraço leva a pensar sobre quem não merece ser abraçado. É o velho hábito do preto/branco, claro/escuro, amor/ódio, das relações equilibradamente opostas de nossa existência.
Além de lembrar dos famigerados religiosos de plantão, tem o amigo-da-onça de plantão. Sempre pronto a te empurrar ladeira abaixo.
Como sou um cara bem popular, nem um pouco jovial e simpático, tenho inimigos-da-onça.
Acho que todos eles já pegaram a senha, entraram na fila pra dizerem: não gosto de você, do que você ouve, da sua guitarra, etc.
Escrevendo sobre isso, amigo-da-onça, lembrei de um ex-amigo que o desejo dele era ficar com a minha namorada. E ele ficou com ela. Ele ainda está vivo. Misericórdia divina.
Hoje em dia não consigo mais abraçá-lo.
Só apertos de mão e tapinha nas costas.
Ah…tem o outro que era meu sócio e me roubou na firma que nós tinhamos. Fui avisado da (má) indole do rapaz. Ele estava sempre na minha casa. Acho que foi o último cara que dei meu voto de confiança. E depois de tudo que ele aprontou, convenci uma enganada por ele financeiramente, a não mandar matá-lo.
Apenas um detalhe: os dois eram de igreja. Eram…não, são ainda.
As vezes me pergunto como posso ainda frequentar qualquer igreja.
As experiências que tenho não são das melhores.
Um dos piores momentos nos cultos lá da igreja, é quando o jovial e simpático pastor pede que abracemos quem está ao nosso lado.
Argh……
Eca…
Aperto, no máximo, a mão.
Abraço, raramente. Só quando estou do lado de um amigo ou amiga. Fato raro.
Neste Dia do Abraço, de um aperto de mão em quem você não conhece.
Dê um abraço em quem é realmente seu amigo.

Anúncios

2 comentários sobre “22 de MAIO: DIA DO ABRAÇO…argh!

  1. Diogo de Jesus Pereira disse:

    Isso vai de cada um. Gestos tem significados diferentes para cada um. É o individualismo. Respeito a sua posição e te apoio na sua decisão, embora discorde um pouco do seu ponto de vista. Estamos ai. quando te vir na p´roxima ve te aperto a mão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s